UFSM pede desculpas ao “Povo de Israel”, mas nega discriminação

Em entrevista coletiva na sexta-feira (19), em Santa Maria, o reitor da UFSM, Paulo Burmann, pediu desculpas ao “Povo de Israel” e disse que quer dar como “esclarecido e encerrado” o assunto do memorando que pediu dados para a publicação da lista de alunos e professores de origem israelense. Ele negou que houve racismo na emissão do memorando, apenas “erros formais e de linguagem”. Ouça a entrevista coletiva. O reitor visitou (foto) a Federação Israelita do Rio Grande do Sul na noite da quinta-feira (18). Leia a íntegra do documento de desculpas e justificações entregue por ele . O portal R7 noticiou o encontro da Conib, Firs e B’nai B’rith com o Ministério Público, em Porto Alegre na semana passada, para tratar de Ação Civil Pública contra a UFSM.