Tolerância é a marca da comemoração do Iom Hashoá em Sâo Paulo

Tolerância é a marca da comemoração do Iom Hashoá em Sâo Paulo

 Em solenidade no templo maçônico Piratininga, em São Paulo, diversas autoridades maçônicas e das comunidades judaica, armênia, negra e bahaí’ participaram em 18 de abril de ato de Iom Hashoá.



Claudio Lottenberg, presidente da Confederação Israelita do Brasil, ressaltou a importância da memória do genocídio armênio e do Holocausto. Ciganos, negros, Testemunhas de Jeová, prisioneiros políticos, entre outros, também foram atingidos pela barbárie nazista, lembrou Lottenberg.



Flávio Rassekh, da comunidade bahá’i, relatou a insegurança e perseguição a esta comunidade no Irã, onde se originou. Os armênios lembraram a tragédia sofrida por seu povo, no início do século 20. 



A data será celebrada anualmente pela maçonaria como Dia da Tolerância, informou o grão-mestre Sidney Shapiro. O vereador Floriano Pesaro apresentou projeto de lei propondo 18 de abril como o Dia da Tolerância entre Povos, Raças e Religiões. 



Também na capital paulista, a Federação Israelita do Estado de São Paulo organizou em 19 de abril dois atos para marcar o Iom Hashoá



Cerca de 200 alunos dos de cinco escolas judaicas da capital paulista, Beit Yaacov, Bialik, Iavne, Peretz e Renascença, trocaram as salas de aula por uma visita ao Cemitério Israelita do Butantã, onde realizaram uma cerimônia junto ao Monumento em Lembrança aos Mártires e Heróis do Holocausto, com o tema “Resistência”.



Em parceria com o clube A Hebraica e CIP, a Fisesp lembrou os 70 anos da morte do médico e educador Janusz Korczak. 



O médico também foi homenageado em ato na instituição cultural judaica Hillel, no Rio de Janeiro, com a participação da diretoria da Federação Israelita (Fierj).



Em Brasília, o embaixador de Israel no Brasil, Rafael Eldad, participou em 18 de abril, da cerimônia de Iom Hashoá, na Associação Cultural Israelita de Brasília. 



Foram homenageados pelo presidente da entidade, Samuel Szerman, três sobreviventes do Holocausto residentes na cidade: Efraim Raymond Frajmund, Lulu Landwehr e Anna Kurcbaum Futer.