Ronaldo Fraga busca em Israel inspiração para sua próxima coleção

Ronaldo Fraga busca em Israel inspiração para sua próxima coleção

 Por Miriam Sanger, de Israel

 
O estilista, escritor e cenógrafo mineiro Ronaldo Fraga está em Israel desde 16 de março. Durante duas semanas de intensas atividades – uma delas a convite do Ministério de Turismo de Israel; a outra, custeada com recursos próprios –, ele busca encontrar inspiração para uma de suas próximas coleções na São Paulo Fashion Week.
 
O desejo de contato com a mistura de culturas que é tão característica de Israel o levou a locais inusitados, como o vilarejo druso Daliyat-al-Karmel – onde se apaixonou pelo modelo típico das calças pregueadas usadas pelos drusos, encomendando uma para si em uma costureira local.
 
A atenção de Fraga está voltada para as culturas judaica e árabe-israelense em seus aspectos mais cotidianos. “As cores das comidas, das casas, dos mercados… Cada cidade aqui se revela nos seus mercados, na forma como empilham os grãos, nos seus rótulos e em toda a memória gráfica do entorno”, conta.
 
O estilista explica que a viagem fecha um ciclo iniciado em 2001, o ano de sua estreia na São Paulo Fashion Week. “Fiz, naquele ano, a coleção intitulada Rute-Salomão, que se baseava em uma história de amor fictícia, a da cristã Rute pelo judeu ortodoxo Salomão. Muita gente no Brasil, ainda hoje, me vê como judeu por causa dela. A comunidade judaica é extremamente carinhosa comigo e uma cliente extremamente fiel. Digo sempre que sou um brasileiro de alma árabe fascinado pela cultura judaica”, afirma ele, descendente de uma família de mercadores de tecido do Líbano.
 
Israel tem, para Fraga, o peso e a importância de uma das grandes civilizações antigas da humanidade. O que levará de volta na bagagem? “Lugares como a China ou a África não entram na sua vida e saem impunemente. Israel, como cultura e epicentro de tanta coisa, também não. É uma terra tão pequena no espaço geográfico, mas gigante quanto à inspiração, à história, à convivência das diferenças e às sobreposições de tempo. Aqui, você viaja longamente no tempo ao se deslocar poucos quilômetros”.