Rede Anne Frank recebe 40 professores de Minas Gerais em São Paulo

Rede Anne Frank recebe 40 professores de Minas Gerais em São Paulo

 Professores da Escola Municipal Anne Frank, de Belo Horizonte, estiveram em 29 de setembro no Arquivo Histórico Judaico Brasileiro (AHJB), em São Paulo, realizando atividades no âmbito da Rede Anne Frank, uma rede de escolas públicas brasileiras que levam o nome de Anne Frank, criada pela comunidade judaica.

Os 40 professores assistiram a uma breve introdução sobre o AHJB, ministrada por sua coordenadora Lucia Chermont, e às palestras " Intolerância e a história de Anne Frank ", por Anna Rosa Campagnano Bigazzi, doutora em história e diretora de educação do AHJB, e "Tendência da política internacional no século XXI", por Heni Ozi Cukier, cientista político e professor da ESPM.

Segundo Sandra Mara de Oliveira, coordenadora da escola mineira, foi uma experiência inédita e muito apreciada pelos educadores.

Para Lucia Chermont, ao refletir e debater sobre política internacional e seus desdobramentos os professores tiveram a oportunidade de exercitar a democracia e a cidadania, que é um dos desdobramentos do legado de Anne Frank e da educação voltada para uma cultura de paz e tolerância. O debate foi caloroso, muitos professores se manifestaram num espírito de troca de ideias e contribuição para o maior entendimento dos temas abordados.

A Rede Anne Frank, da qual também fazem parte escolas em São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre e Palmas, visa fomentar valores representados por Anne Frank, tendo as escolas como centro de produção e disseminação de uma cultura de paz, combatendo antissemitismo e racismo.

A visita fez parte do projeto de formação dos professores da escola mineira, que estiveram também no Museu da Língua Portuguesa e no MASP, e teve o apoio do Programa BH para Crianças, da Prefeitura de Belo Horizonte; Marx Golgher, ativista comunitário mineiro; Arquivo Histórico Judaico Brasileiro e Conib.