Rebeldes dizem estar sem armas para pôr fim à guerra na Síria

Comandantes dos rebeldes sírios, no momento em que esperavam receber uma grande quantidade de armas pesadas que os ajudariam numa grande ofensiva contra as forças do presidente Bashar Assad, dizem que os carregamentos vindos de fora do país não chegaram. Embora tenham contabilizado ganhos no norte e no leste do país, com a captura de bases militares e de postos de controle, insurgentes que previam uma rápida vitória dizem agora que o arsenal é insuficiente para manter a guerra. "Não haverá um fim rápido e efetivo", disse Nabil Amir, porta-voz do Conselho Militar de Damasco, grupo considerado chave. As armas para a oposição síria vêm principalmente dos Estados Árabes, da região do Golfo, mas os comandantes acusam os Estados Unidos de pressionarem seus aliados regionais e provocarem a morosidade do transporte (Por Raja Abdulrahim, LA Times/O Estado de S.Paulo).