Rabino Sacks aborda semelhanças entre futebol e religião

Rabino Sacks aborda semelhanças entre futebol e religião

Inspirado pelo logo do Google (veja abaixo), Jonathan Sacks escreveu em 13 de junho sobre as semelhanças entre o futebol e a religião. Leia abaixo o texto:

"O futebol é, obviamente, mais do que apenas um jogo. Ele tem pelo menos algumas semelhanças com a religião: envolve o ritual, trata de momentos em que nossa identidade se funde com algo maior do que nós mesmos. É sobre lealdade, sobre torcer para nosso time, mesmo quando nossa fé é testada até o limite. E quando sai o gol da vitória, e você pula para comemorar com a massa, você chega o mais perto que um momento profano permite da transcendência, o que Hobbes chamou de "glória repentina."

O que eu aprendi numa longínqua noite em que meu time perdeu em casa [Arsenal 2 X 6 Manchester United], foi a de que o jogo é maior do que os times. Essa é uma verdade muito profunda. Somos criaturas tribais. É por isso que os homens guerreiam. Quanto mais pudermos encontrar substitutos simbólicos para o conflito, melhor. E eles podem simplesmente lembrar-nos da verdade mais profunda de que nossa humanidade compartilhada, em última análise, importa mais do que as nossas diferenças religiosas".

Após a derrota fragorosa do Arsenal, um jornal inglês perguntou: "se o Arcebispo de Canterbury e o rabino-chefe não podem trazer uma vitória para o Arsenal, isso não prova que Deus não existe?". Sacks respondeu: “Ao contrário. Isso prova que Deus existe. E torce para o Manchester United”.