Portugal estuda dar cidadania aos descendentes de judeus expulsos em 1496

Portugal estuda dar cidadania aos descendentes de judeus expulsos em 1496

 

O vice-presidente da Federação Israelita do Estado de São Paulo, Ricardo Berkiensztat, e o rabino Michel Schlesinger, da Congregação Israelita Paulista, reuniram-se em 19 de fevereiro com o cônsul geral de Portugal em São Paulo, Paulo Lopes Lourenço.

Entre os assuntos tratados, estiveram as relações de Portugal com Israel;  um projeto de lei, em fase embrionária, que visa dar aos descendentes de judeus expulsos de Portugal a cidadania portuguesa (os judeus foram expulsos em 1496, com a possibilidade de permanecerem mediante conversão ao cristianismo); e uma homenagem ao diplomata Aristides de Souza Mendes.

Cônsul-geral de Portugal na cidade francesa de Bordeaux, no início dos anos 1940, Mendes decidiu, contra ordens explícitas de seu governo, seguir sua consciência e expedir vistos para todos os que tentavam escapar da barbárie nazista.

Em poucos dias, conseguiu salvar 30 mil pessoas, antes de ser forçado a voltar a Portugal. Lá, foi expulso do corpo diplomático e teve sua aposentadoria cancelada. Ele recebeu o título de “Justo entre as Nações”, do Yad Vashem, o Museu do Holocausto, em Jerusalém.