Pentágono admite ter apoiado plano para armar rebeldes sírios

Líderes do Pentágono admitiram ao Congresso que apoiaram uma recomendação do Departamento de Estado e da Agência Central de Inteligência (CIA) para armar rebeldes sírios, mas que o presidente norte-americano, Barack Obama, decidiu contra isso. Os rebeldes que lutam para derrubar o presidente sírio, Bashar Assad, recebem apenas assistência não letal do governo Obama. Embora recebam armas de países como Catar e Arábia Saudita, estão militarmente muito inferiorizados em relação às forças regulares sírias.O conflito na Síria já dura 22 meses e, segundo a Organização das Nações Unidas (ONU), matou cerca de 60 mil pessoas (Reuters).