Parlamento jordaniano exalta terroristas que atacaram no Monte do Templo

Parlamento jordaniano exalta terroristas que atacaram no Monte do Templo

 O parlamento jordaniano saudou como “mártires” os três terroristas palestinos autores do ataque que deixou mortos, em 14 de julho, dois policiais israelenses no Monte do Templo, em Jerusalém. A sessão parlamentar foi realizada menos de um dia depois que o próprio rei da Jordânia, Abdullah II, falou com o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu e condenou o ataque.

"Que Deus tenha misericórdia de nossos mártires que regaram nosso solo puro. Levantaremos a cabeça pelo sacrifício dos jovens palestinos que ainda lutam em nome da nação", disse o presidente do parlamento jordaniano, Atef Tarawneh. Veja vídeo

O presidente de Israel Reuven Rivlin declarou que o ataque cruzou uma linha vermelha [“é a primeira vez na história que um atentado com arma de fogo ocorre dentro deste santuário”, segundo o diretor executivo do IBI, André Lajst], e elogiou Abdullah por sua postura.