ornalista Zuenir Ventura homenageia Vladimir Herzog, no Midrash Rio

ornalista Zuenir Ventura homenageia Vladimir Herzog, no Midrash Rio

 O jornalista e escritor Zuenir Ventura homenageou em 25 de junho, no Midrash Centro Cultural, no Rio de Janeiro, o amigo Vladimir Herzog, morto pela ditadura militar. Herzog, que faria 75 anos no dia 27 de junho, foi o tema de uma palestra do antigo colega de profissão.



Zuenir leu a declaração em que Ivo Herzog, filho do jornalista, pede ao governo brasileiro o reconhecimento da morte do pai pela ditadura militar e não como suicídio, conforme ainda hoje consta na certidão de óbito e nos papéis oficiais.



Para Zuenir, a morte de Herzog foi uma grande injustiça e um grande equívoco: “Ele era apenas um grande jornalista, preocupado com os rumos do país naquele momento, e nem do Partido Comunista fazia parte.”



A morte de Herzog foi um marco na ditadura militar. No dia 31 de outubro de 1975, foi realizado um ato ecumênico na Catedral da Sé, em sua memória, do qual participaram 8 mil pessoas, num protesto silencioso contra o regime.

Veja matéria sobre o evento no Midrash, feita pelo programa RJTV, da Rede Globo.