O sucesso que fracassou

A história de Salam Fayyad, primeiro-ministro da enfraquecida Autoridade Palestina (AP), na Cisjordânia, é um caso de uma oportunidade desperdiçada. Obama, que preferiu não se encontrar com Fayyad em seu primeiro mandato, poderá fazê-lo durante sua visita à região no próximo mês. O que o presidente ouvirá é como as coisas ficam ruins quando os Estados Unidos olham para o outro lado. Formado no Texas, mais interessado pelo futuro que atormentado pelo passado, um ex-funcionário do Fundo Monetário Internacional determinado a combater a corrupção e estabelecer a segurança, mais um realizador do que um sonhador, Fayyad era um novo tipo de líder palestino. Um pragmático contra a violência com uma genuína disposição para um acordo territorial. Para Israel, ele era um enigma: um parceiro em potencial, mas também o político do inferno. Pois, se o fayyadismo era a nova face razoável da Palestina, por que a Palestina não conseguiu ser criada? (Por Roger Cohen, NYT/O Estado de S.Paulo)