O legado de Berel Aizenstein

O legado de Berel Aizenstein

 Berel Aizenstein, ex- presidente da Confederação Israelita do Brasil, faleceu no dia 25 de abril, em São Paulo.



Ele teve uma longa trajetória de trabalho na Conib. Foi presidente em 2004 e 2005 e secretário-geral, entre 1998 e 2003.



Depoimentos de judeus de todo o Brasil mostram a importância e o alcance de sua atuação como líder comunitário.



“Perdemos um símbolo de nossa comunidade. Berel Aizenstein sempre emanou uma incansável força interior, uma capacidade admirável de liderança e de realização. Sentiremos muito a sua falta e vamos trabalhar, com ainda mais vigor, para seguir seu exemplo e honrar o seu legado”, disse Claudio Lottenberg, presidente da Conib.



O presidente do Congresso Judaico-Latino-Americano, Jack Terpins, trabalhou com Berel  na Conib. “Pude acompanhar de perto o desvelo com que tratava a questão judaica, nosso vínculo com Israel, e como mostrava tudo isso por meio de ações concretas”. 



“Ele desmistificou conceitos arraigados sobre Israel, por meio de missões que levaram ao Estado judeu formadores de opinião – jornalistas, políticos e acadêmicos – missões nas quais sempre esteve à frente. Também é digna de nota sua preocupação com a integração das comunidades judaicas em todo o Brasil”, notou o presidente do CJL.



“Berel era o amigo que todos gostariam de ter. Ele nos deixa saudades, mas também um legado pelo qual somos responsáveis”, concluiu Terpins.



Jayme Blay, que presidiu a Federação Israelita do Estado de São Paulo na época em que Aizenstein dirigiu a Conib, comentou uma viagem que fizeram juntos a Israel, em 2004, levando importante delegação de jornalistas brasileiros: “A maneira cativante e inteligente como Berel tratou todos os profissionais foi fundamental para o sucesso da viagem. Lembro-me bem da saudação feita pelos jornalistas, ao final da jornada, realçando a liderança do Berel, que lhes garantiu acesso privilegiado e isento a todo tipo de informação. Berel será sempre uma grande fonte de inspiração para todos os dirigentes da comunidade".



A jornalista Tania Tarandach rememorou na Rua Judaica fatos que marcaram a atuação de Aizenstein na Conib: a participação na I Conferência Nacional de Promoção da Igualdade Racial e na decisão histórica do Supremo Tribunal Federal, quando do julgamento do caso Ellwanger; a adesão ao projeto de Itinga/Fome Zero; a assinatura de acordos com a Claims Conference, visando à indenização de vítimas do Holocausto no Brasil.



O apreço pelo trabalho de Aizenstein é mostrado também por representantes das pequenas comunidades judaicas em vários estados brasileiros.



“Seu legado será lembrado como um incentivo ao voluntariado e à integração das federadas à Conib”, disse Marcus Strozberg, presidente da Sociedade Israelita do Ceará. 



“Foi um judeu idealista, ativista comunitário ímpar. Um defensor inconteste das pequenas comunidades, sempre nos orientando”, lembrou Isaac Dahan, líder religioso da comunidade judaica de Manaus.



As palavras de Dahan são reforçadas pelas de Iana Pinto, ex-presidente do Centro Israelita do Pará: “Homem dotado de inteligência, senso de humor e grande espírito comunitário”.



Aizenstein fez muitos amigos pelo Brasil, como mostra o depoimento de Jáder Tachlitsky, do Recife: “Tive a honra e o privilégio de ter trabalhado com ele, como delegado da comunidade judaica de Pernambuco, na 1ª Conferência Nacional de Igualdade Racial, em Brasília. Aprendi a admirá-lo pela forma como nos liderou, aliando firmeza e doçura”.



“Berel inspirou minha carreira profissional, assim como a de muitos outros profissionais, pela sua liderança, conhecimento e admiração”, afirmou Breno Kor, de São Paulo.



“Uma grande perda. Estamos todos muito pesarosos. Não há como substituir este grande líder do judaísmo mundial”, disse Ronaldo Gomlevsky, ex-presidente da Federação Israelita do Rio de Janeiro.



Sua ação foi reconhecida também pela sociedade brasileira. Em 2011, ele recebeu do Governo do Estado de São Paulo a medalha constitucionalista, por serviços prestados à comunidade.