O controle das armas nucleares

Em seu primeiro discurso de posse, Barack Obama fez uma promessa: "Trabalharemos incansavelmente com nossos amigos de longa data e com antigos inimigos para reduzir a ameaça nuclear e aniquilar o fantasma do aquecimento global". No seu segundo discurso, ele voltou à questão da mudança climática, mas deixou de lado a ameaça nuclear. Talvez não seja justo querer elaborar demais sobre isso. No entanto, nos últimos tempos, notamos um estranho silêncio a respeito do controle de armas. Ele tem sido ignorado na exposição pública de prioridades no segundo mandato do presidente. Indubitavelmente, serão discutidos inúmeros detalhes misteriosos nas audiências de confirmação dos senadores John Kerry e Chuck Hagel, respectivamente no cargo de secretários de Estado e da Defesa. Mas e o presidente? Ele ainda acredita em um mundo sem armas nucleares, como descreveu no discurso de Praga, em abril de 2009? (Por David E. Hoffman, Foreign Policy/O Estado de S.Paulo). Leia mais em:

Kerry associa economia a política externa (NYT/O Estado de S.Paulo)