Na festa judaica das árvores, uma parceria pelo verde no Amazonas

Na festa judaica das árvores, uma parceria pelo verde no Amazonas

 Uma ação de arborização em um bairro da Zona Norte de Manaus marcou a comemoração de Tu biShvat, o Ano-Novo das Árvores no calendário judaico. O plantio de 60 mudas foi feito em parceria do Comitê Israelita do Amazonas (CIAM) com a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade.

Cerca de 50 pessoas da comunidade judaica participaram do plantio, na rua que leva o nome do rabino Jacob Azulay, marroquino que imigrou para Manaus no início do século 20.

“A árvore para nós significa vida. Hoje, Israel talvez seja um dos únicos países do mundo que tenha mais árvores do que há 100 anos, e nós queremos contribuir para deixar Manaus mais verde”, disse o presidente do CIAM, Davis Benzecry.

O jornal A Critica destacou a ação, que também foi noticia na rádio CBN, nas TVs A Crítica e Em Tempo.

Em Santos, a sinagoga Beit Jacob doou mudas de plantas à comunidade para que todos pudessem comemorar a data em suas casas.

Em São Paulo, o secretário do Verde falou à entidade judaica de direitos humanos B’nai B’rith sobre o plantio de árvores na cidade. Também na capital paulista, a Hebraica, em parceria com a organização feminina Na’amat Pioneiras São Paulo e com o apoio do KKL (Keren Kayemet LeIsrael – Fundo Nacional Judaico) comemorou a data em 12 de fevereiro

José Luiz Goldfarb e Gerson Herszkowicz, diretores de A Hebraica, destacaram o envolvimento do povo judeu com o meio ambiente selecionando trechos bíblicos, poemas e músicas que enaltecem as árvores e a natureza. A cerimônia foi seguida de benção à base de frutas típicas e do plantio de árvores.

A celebração contou com a presença de Claudia Costin, secretária de Educação do Rio de Janeiro; Abramo Douek, presidente de A Hebraica; Eduardo El Kobbi, presidente do KKL; Sarah Wulkan e Regina Fleider, da Na´amat Pioneiras São Paulo; Myrian Mau Roth, do executivo nacional da Na’amat;Etejane Hepner Coin e Berta Kramer, da Wizo SP.

“Ao comemorarmos mais um Rosh Hashaná das árvores, junto com a Hebraica e o KKL, talvez a mais antiga organização no mundo a se preocupar com a ecologia e ambiente, estamos preservando a tradição e os valores judaicos, pilares da Na’amat, declarou Regina Fleider, diretora da entidade em São Paulo.