Na África, Dilma pede reforma ‘urgente’ de organismos internacionais

Diante de representantes de governos da África e da América do Sul, a presidente Dilma Rousseff defendeu hoje uma reforma "urgente" para dar mais espaço e voz aos países em desenvolvimento nos organismos como o Conselho de Segurança da ONU, o FMI (Fundo Monetário Internacional), o Banco Mundial e a OMC (Organização Mundial do Comércio). "Para o Brasil é urgente a reforma da ONU. Nada justifica que África e América do Sul permaneçam sem representação permanente no Conselho de Segurança. É também urgente reformar o Fundo Monetário Internacional e o Banco Mundial, para que esses organismos sejam mais sintonizados com as demandas, os pleitos e os anseios do mundo em desenvolvimento", disse, durante discurso na III Cúpula ASA (América do Sul-África) em Malabo, capital da Guiné Equatorial (Por Fernanda Odilla, Folha.com). Leia mais em:

Brasil pede maior representação do Sul no cenário internacional (AFP)

Brasil quer abrir mais portas na África para enfrentar a China (Folha de S.Paulo)