Museu Judaico do Rio de Janeiro e ORT prestam homenagem a Wallenberg

 O Museu Judaico do Rio de Janeiro e o Instituto de Tecnologia ORT celebraram em 10 de outubro o centenário de nascimento de Raoul Wallenberg, diplomata sueco conhecido mundialmente por seus esforços para salvar os judeus húngaros do extermínio nazista.

 
Estiveram na mesa de trabalho o presidente da Federação Israelita do Rio de Janeiro, Jayme Salomão; o historiador Fábio Koifman; o rabino Dario Bialer; o presidente do Museu Judaico do Rio de Janeiro, Max Nehemias, que conduziu o evento; o cônsul geral da Argentina, Marcelo Bertoldi; e o cônsul honorário da Suécia, Bernardo Vaena.
 
Uma exposição sobre Raoul Wallenberg foi preparada pelo ORT e, antes de começarem as palestras, cada um dos presentes recebeu uma cópia de um passaporte de proteção elaborado pelo diplomata.
 
O rabino Dario Bialer afirmou que diante do número de vidas salvas por Wallenberg, tudo o que se pode dizer passa a ser supérfluo. “Temos que dedicar um tempo, um silêncio, para poder entender o que significa abandonar toda uma vida em busca de um ideal que fez uma diferença tão importante na história da humanidade”, disse.
 
O historiador Fábio Koifman enfatizou o papel do embaixador brasileiro Souza Dantas, que também ajudou a salvar a vida de judeus europeus por meio da concessão de vistos para o Brasil.
 
Fechando o ciclo de palestras, o Presidente do Museu Judaico, Max Nehemias, agradeceu a presença de todos e o apoio do ORT na organização do evento.