Morre aos 91 Maurício Segall, primeiro diretor do Museu Lasar Segall

Morre aos 91 Maurício Segall, primeiro diretor do Museu Lasar Segall

Mauricio Segall faleceu nesta segunda-feira (31), aos 91 anos, em São Paulo. Ao lado do irmão Oscar, foi criador e primeiro diretor do Museu Lasar Segal, em 1967, tendo ocupado o cargo até 1997.

Museólogo, economista e autor teatral, Mauricio nasceu em Berlim, em 1926. Filho do artista Lasar Segall e da escritora e tradutora Jenny Klabin Segall, coube a ele a definição do museu como polo cultural no bairro paulistano da Vila Mariana.

Sua gestão definiu os rumos que até hoje constituem a estrutura e as atividades do museu, que cresceram a partir da sua incorporação à Fundação Pró-Memória, depois ao Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, e finalmente, em 2009, ao Instituto Brasileiro de Museus. Mauricio Segall foi nomeado Diretor Emérito do Museu Lasar Segall em 2013.

Em artigo publicado nesta quarta-feira (2) na Folha de S. Paulo, o crítico Roberto Schwarz fala sobre o amigo:

Contradições de Mauricio Segall fizeram dele homem de exceção

“Para entender a pessoa de Mauricio Segall é preciso, na minha opinião, considerá-lo como um pacote explosivo de tensões. Por um lado, descendente de uma família rica e filho de Lasar Segall, um dos grandes pintores de nosso tempo. Por outro, comunista convicto e radical, numa acepção nobre, que vai além da filiação partidária e que a evolução histórica do comunismo deixou sem base. Essa bomba de contradições é tornada mais potente por um temperamento vulcânico, à moda russa, e pelo desejo exasperado de integridade e de coerência. Tudo isso misturado, mais a extraordinária energia física, fizeram dele um homem evidentemente de exceção”.

 

Leia o depoimento completo na Folha de S. Paulo.


A partir da esquerda: Mauricio Segall, Beatriz Segall, Lasar Segall, Jenny Klabin, Raquel Arnaud e Oscar Segall. Foto: Folha/ Divulgação.