Míssil deixa 31 mortos na Síria

Aleppo enterrou ontem 31 pessoas, entre elas 14 crianças, mortas por um míssil terra-terra que atingiu um bairro da cidade ao norte da Síria, em dia em que dois morteiros caíram próximos ao palácio presidencial em Damasco, pela primeira vez em quase dois anos de conflito. Ontem, dois aviões russos carregados com toneladas de ajuda humanitária chegaram ao aeroporto de Latakia (noroeste). Um deles transportou de volta à Rússia centenas de cidadãos que desejavam abandonar o país diante do aumento dos combates entre rebeldes e soldados do regime. A Rússia, principal aliada do regime de Bashar Assad, anunciou que no dia 25 de fevereiro receberá o ministro sírio das Relações Exteriores, Walid Mualem, e no início de março o líder da oposição, Ahmed Moaz al-Katib, para tentar mediar o conflito que já deixou cerca de 70 mil mortos, segundo as Nações Unidas (AFP).Leia mais em:

Bombas explodem próximo a palácio de ditador sírio em Damasco (Folha.com)

Morteiros matam jogador de futebol em Damasco (Agência Estado)

Exército sírio envia reforços para tentar salvar o aeroporto de Aleppo (AFP)

Siria: Los rebeldes denuncian que en los ataques de Hezbollah hay decenas de muertos (Aurora)

Siria: Rebeldes dan ultimátum a Hezbollah (Aurora)

Área rebelde da Síria sofre casos de febre tifoide, diz OMS (Reuters)

Syrian leaders should face justice at ICC, UN says (The Guardian)