Malala cria a campanha “Livros, sim; armas, não”

Malala cria a campanha “Livros, sim; armas, não”

Neste domingo, 12 de julho, a jovem paquistanesa Malala, Prêmio Nobel da Paz de 2014, completou 18 anos. E avisou: “Não quero mensagens de parabéns, mas ação”. Ela criou uma campanha em que pede a cada internauta que poste uma foto com seu livro favorito, explique a razão da escolha e adicione o hashtag ?#‎booksnotbullets [“Livros, Sim; Armas, Não”].

O objetivo: fazer com que os líderes mundiais parem de gastar com armas e deem à educação prioridade absoluta.

Malala escolheu O Diário De Anne Frank. Veja por quê:

"O livro revela a coragem e a força de uma jovem vivendo sob a guerra. Ele me inspira a acreditar que toda criança merece o direito de sonhar, o direito de aprender e o direito de viver em paz.

Exorto os líderes mundiais a priorizar a educação, porque é o único caminho por meio do qual podemos derrotar o terrorismo e a pobreza.

Se for direcionado à educação das crianças o dinheiro que é gasto em armas, isso mudará suas vidas. Não é possível deter o terrorismo apenas matando os terroristas. Precisamos lutar contra a ideologia do terrorismo e do extremismo, e isso só pode ser feito com êxito através da educação.

Se uma criança que vive na pobreza não recebe um livro, ela pegará uma arma. Apelo a todos que se juntem a mim nesta missão”.

Saiba mais sobre a campanha.