Incursão turca no Crescente Fértil

O maior segredo de Ancara, mas conhecido por todos, é que a Turquia detesta o Irã. Para os turcos, o Irã prejudica seus interesses na Síria e no Iraque. Este fato não é admitido publicamente, pois o país necessita desesperadamente do gás e do petróleo iranianos para prosseguir com seu estupendo crescimento econômico. Mas Ancara considera cada vez mais Iraque e Síria palcos de um conflito por procuração com o Irã; no caso do Iraque, a Turquia apoia árabes sunitas e curdos contra o governo central em Bagdá, cujo primeiro-ministro, Nuri al-Maliki, é visto pelos turcos como marionete do Irã; quanto à Síria, Ancara apoia os rebeldes contra o regime de Bashar Assad, que tem suporte do Irã. A Turquia tem reagido ao desafio do Irã procurando influir nas regiões ao norte dos dois países. O que sugere a emergência de uma nova política turca ainda não revelada no Oriente Médio: prevendo a descentralização da Síria após a queda de Assad e esperando se beneficiar de um norte curdo autônomo no Iraque, a Turquia vem forjando um cordão sanitário ao longo do chamado Crescente Fértil, aumentando sua influência junto à população curda e também nos grandes centros comerciais como Alepo e Mossul (Por Soner Cagaptay, NYT/O Estado de S.Paulo).