Historiador esmiúça foto emblemática da Shoá

Historiador esmiúça foto emblemática da Shoá

Nos últimos dias do Levante no Gueto de Varsóvia, em 1943, os soldados alemães descobriram um bunker onde crianças, mulheres e homens estavam escondidos, nas mais precárias condições. Ao sair do esconderijo, foram fotografados por um oficial nazista. 



Sob a mira de um fuzil, um menino levantou os braços em sinal de rendição. Para os nazistas, um momento de vitória; para a humanidade, uma foto que se tornou o símbolo da crueldade do Terceiro Reich.



60 anos depois, o historiador israelense Dan Porat, filho de sobreviventes do Holocausto, iniciou uma intensa busca para identificar os personagens da famosa foto. O resultado é o livro “The Boy – A Holocaust Story”, inédito em português.



Dan Porat afirma à revista “Hebraica” nº 618, que vários elementos transformaram a foto num ícone: “Logo após a guerra, ela foi usada como prova no julgamento de Nuremberg . É também uma foto sem cadáveres ou gente morrendo de fome, não provocando repulsa imediata das pessoas que a vêem. (…) Ela encerra ainda uma explicação até cristã, pois o garoto judeu de mãos erguidas lembra o menino Jesus, que será sacrificado. Por isso, tem um apelo também no mundo não judeu”.



Em tempo: Porat não conseguiu identificar o menino: “Tentei identificá-lo, mas não é mais possível. E isso é um símbolo em si. Nunca entenderemos completamente o Holocausto, e o menino anônimo representa o que sempre faltará explicar”.