Ex-embaixador de Israel aborda o futuro da comunidade judaica francesa

Ex-embaixador de Israel aborda o futuro da comunidade judaica francesa

A convite dos Amigos da Universidade Hebraica de Jerusalém, o Embaixador Yossi Gal, que há dois meses assumiu o cargo de vice- presidente de Relações Internacionais da Universidade Hebraica de Jerusalém (UHJ) ministrou nesta segunda (23) a palestra “Política Internacional”, no clube A Hebraica-SP.
 
Gal, que foi embaixador na França por cinco anos, traçou um panorama sobre a comunidade judaica francesa, e falou sobre o perigo que o Estado Islâmico representa para o mundo democrático. 
 
“A França tem a maior comunidade judaica da Europa, com cerca de 600 mil integrantes, metade dos quais vivendo em Paris. Com muitos intelectuais e pessoas de destaque nas mais diversas áreas, sempre foi uma comunidade orgulhosa de suas raízes e muito ligada a Israel.

Em 2012, quando aconteceu o massacre em uma escola judaica de Toulouse, o clima começou a ficar bastante tenso para os judeus franceses. Seguiram-se outros ataques, como o sequestro seguido de estupro a uma jovem judia em um subúrbio em Paris e os ataques ao Charlie Hebdo e ao Hyper Cacher, o que acabou culminando com um grande número de franceses indo embora da França para Israel, Canadá e Estados Unidos”, relatou o Embaixador.

“Sinto-me muito feliz por cada francês que chega a Israel, mas preferiria que isso acontecesse por vontade própria, e não por conta do antissemitismo”, complementou.
 
Com relação aos ataques terroristas simultâneos que assolaram Paris no dia 13 de novembro, ele acredita que os eventos foram um turning point, que requer total atenção das lideranças mundiais: “Paris foi escolhida por ser uma cidade símbolo, que tem como lema Liberdade, Igualdade e Fraternidade, e o ISIS representa um perigo para todo o mundo livre”.
 
“A União Europeia permite que as pessoas circulem livremente por 28 países. É preciso encontrar uma maneira para que haja uma troca maior de informações entre eles. Também é urgente a criação de uma política de imigração entre os países europeus, principalmente por conta dos refugiados sírios que chegam à Europa diariamente. Além disso, precisamos ter muito cuidado para que a população muçulmana não seja rotulada de terrorista” frisou o embaixador.
 
“O Estado Islâmico afeta o mundo inteiro, e ninguém está imune.  As democracias precisam de uma solução unificada. Somente quando os líderes do mundo livre unirem forças é que poderão colocar um fim nestas atrocidades”, alertou o vice-presidente da UHJ.

Yossi Gal começou sua carreira no Ministério das Relações Exteriores de Israel, onde participou das negociações de paz com os vizinhos de Israel, sendo o principal responsável pela delegação dos acordos multilaterais. No exterior, foi diretor de Gabinete do Embaixador e porta-voz da Embaixada em Washington, e atuou como embaixador de Israel na França, Holanda e Mônaco.
 
“Ficamos muito gratificados em poder desfrutar da sabedoria e grande vivência internacional de Yossi Gal”, declarou Jayme Blay, presidente dos Amigos da Universidade Hebraica de Jerusalém.

O evento teve o apoio da Câmara Brasil-Israel de Comércio e Indústria, Conib, Federação Israelita do Estado de São Paulo, Fundo Comunitário, Hebraica São Paulo e Consulado de Israel em São Paulo.