Conib se solidariza com o goleiro Aranha e lamenta o racismo

Conib se solidariza com o goleiro Aranha e lamenta o racismo

Em jogo disputado semana passada entre Grêmio e Santos, pela Copa do Brasil, o goleiro Aranha, do Santos, foi alvo de manifestações racistas.

Após a partida, disputada em Porto Alegre, Aranha declarou que foi xingado de “macaco” e “preto fedido” e ficou indignado pela passividade do público com relação aos torcedores que apresentaram comportamento racista.

O Grêmio postou nota em repúdio ao racismo e puniu alguns torcedores identificados como racistas. Mesmo assim, o clube gaúcho foi excluído da Copa do Brasil, em decisão tomada pelo STJD nesta quarta feira.

A Confederação Israelita do Brasil se solidariza com Aranha e repudia esta e qualquer outra forma de racismo. A Conib tem uma relação próxima com a comunidade negra. Na solenidade do Dia Internacional do Holocausto em 2012, realizada em Salvador, foram também homenageados os negros vítimas da barbárie nazista.

Em 2014, José Vicente, reitor da Faculdade Zumbi dos Palmares, acendeu uma das velas em memórias às vítimas.

A Conib está presente na SEPPIR – Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, desde a criação da Secretaria, em 2003. A comunidade judaica apoia esforços do Plano Nacional de Políticas da Igualdade Racial e participou do lançamento em São Paulo e Salvador do Plano Juventude Viva

Os judeus participam anualmente, no Rio de Janeiro, da Caminhada em Defesa da Liberdade Religiosa, em parceria com a Comissão de Combate à Intolerância Religiosa.