Conib participa de atos em lembrança ao 18º aniversário do atentado à AMIA

Conib participa de atos em lembrança ao 18º aniversário do atentado à AMIA

 A Confederação Israelita do Brasil participou na semana passada em Buenos Aires das cerimônias de lembrança ao 18º aniversário do atentado à entidade comunitária judaica AMIA, que deixou 85 mortos.

 
Encabeçada por Jack Terpins, presidente do Congresso Judaico Latino-Americano, a delegação brasileira teve a presença de Daniel Borger, assessor da Presidência da Conib, de assessores de Segurança de federações israelitas de vários estados brasileiros e de membros da Polícia Federal, Brigada Militar do Estado do Rio Grande do Sul, Polícia Militar do Estado de São Paulo e Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro.
 
A iniciativa de convidar membros das forças públicas brasileiras visou mostrar a agressividade do terrorismo islâmico radical e as consequências extremas do antissemitismo.
 
O grupo participou de encontro com parlamentares latino-americanos no Senado argentino, promovido pelo Congresso Judaico Latino-Americano, em que foram debatidas formas de legislar contra o terrorismo. O promotor Alberto Nisman, que apontou o envolvimento do governo do Irã no atentado, fez um relato detalhado das pendências do caso.
 
A delegação visitou o novo prédio da AMIA e conversou com seu chefe de segurança, que lhes informou sobre a reconstrução do prédio, feita em cinco anos. A entidade retomou todas as suas atividades, atendendo às necessidades da comunidade judaica, sobretudo na área social.
 
O grupo também falou com sobreviventes do atentado à embaixada de Israel em Buenos Aires, em 1992, que deixou 29 mortos.
 
A delegação participou ainda de ato de rua em que o presidente da AMIA, Guillermo Borger, parabenizou a entidade pela rápida retomada de atividades e criticou a lentidão das investigações. Houve também uma manifestação de jovens nascidos em 1994, ano do atentado, pedindo justiça.