A relação Israel-Europa é tema da 2ª palestra do ciclo ‘Israel e o Mundo’, em SP

A Europa é o lugar de origem da maior parte dos judeus que fundaram Israel. Também é uma das partes do mundo mais próximas geograficamente ao Estado judeu. A longa e intrincada história dos judeus no continente europeu precede e molda a relação entre Israel e Europa, que foi o tema do historiador Peter Demant, professor da USP, na segunda palestra do ciclo “Israel e o Mundo”, realizada nesta segunda-feira, 9 de setembro, no – pela segunda vez –  lotado auditório do Centro da Cultura Judaica, em São Paulo.

 

Demant traçou um panorama da história judaica na Europa, desde a emancipação, passando pelo surgimento do antissemitismo ideológico – diferenciando-o do teológico -, que desembocou no Holocausto e em uma grande crise demográfica judaica: em 1939, 60% dos judeus do mundo viviam na Europa; hoje, cerca de 10%.  

 

O professor focou sua análise em três países-chave: Reino Unido, França e Alemanha, além de abordar a política externa da União Europeia. Ressaltou o grande apoio dados pelos franceses nos anos 1950 e 60; a ajuda financeira dada pelos alemães, hoje os principais apoiadores de Israel no continente, e o importante intercâmbio cultural entre Israel e Alemanha. Discorreu ainda sobre as diferentes posições de católicos e protestantes com relação ao Estado judeu.   Para Demant, no atual cenário de tensão entre israelenses e europeus, o Estado judeu tende a ficar mais dependente dos EUA.  

 

Na próxima segunda-feira, 16 de setembro, às 20 horas, o ciclo, parceria entre a Confederação Israelita do Brasil e o Centro de Cultura Judaica, prossegue com a palestra “Israel e Ásia”, com Jaime Spitzcovsky, jornalista que foi correspondente da Folha de S. Paulo em Moscou e Pequim e atualmente é responsável pelas relações institucionais da Conib. Sinopse: com o fim da Guerra Fria, Israel passou a construir vínculos sólidos com Índia e China, alicerçados em interesses estratégicos e econômicos. Estas relações vêm com desafios para um país habituado a investir seu capital diplomático em arenas norte-americanas e europeias.   A curadoria do evento é do cientista social Daniel Douek.  

 

O preço para as palestras restantes é de R$ 360,00, e para palestras avulsas, R$ 65,00. Idade mínima: 18 anos.   As datas são 16, 23 e 30 de setembro e 7, 14, 21 e 28 de outubro, segundas-feiras. Horário: das 20h às 22h. Informações, no Centro da Cultura Judaica: [email protected] ou [email protected] Telefone: (11) 3065-4349/4337.  

Panorama da palestra de Peter Demant, no Centro da Cultura Judaica, em São Paulo. Foto: Carol Mendonça.